Facebook Pixel

Chocolate e crianças: como conciliar essa relação

Chocolate e crianças: como conciliar essa relação

Dar chocolate para crianças, especialmente quando são muito pequenas, é um assunto tabu. Afinal, os pequenos podem comer chocolate? A resposta é sim! 

Se você está com dúvidas sobre os benefícios do cacau para o desenvolvimento das crianças, chegou ao lugar certo. Porque, de chocolate, a gente entende (e ama muito)!

Também sabemos que é normal ficar com um pé atrás na hora de oferecer o doce como presente para os pequenos. Uma vez que, o cuidado com a saúde e alimentação dos filhos deve estar em primeiro lugar.

Mas o Dia das Crianças está chegando, e nós queremos mostrar para vocês que o chocolate pode, sim, ser uma excelente alternativa de presente para a criançada. E nem todos os produtos são considerados guloseimas e “besteiras”. 

Quer aprender a conciliar a relação entre os pequenos e o chocolate? Então continue a leitura. 

Qual é a idade certa de chocolate para criança?

Já pensou numa infância sem chocolate? Não dá para privar os pequenos desse doce tão saboroso, mas é preciso ter atenção às dosagens de doces durante os primeiros anos de vida. A recomendação geral é de permitir os prazeres do cacau a partir dos 2 anos

Falamos cacau, porque quanto mais natural e artesanal for o chocolate, melhor! Assim, é possível evitar o desenvolvimento da necessidade de açúcares e de um paladar “viciado” ao longo da vida da criança, além, claro, de reduzir os riscos para a saúde.

Qual é a quantidade ideal? 

A palavra é moderação. O chocolate não faz mal, mas tudo depende do chocolate, de quem está ingerindo e, é claro, da quantidade. 

O cacau, ingrediente básico do doce, na verdade, conta com diversas propriedades benéficas para o corpo humano. Ele ajuda no controle e equilíbrio da pressão arterial; na diminuição da taxa de colesterol prejudicial (LDL); e proporciona melhorias no funcionamento do sistema cardiovascular.

Já o chocolate e o açúcar juntos, têm a capacidade de aumentar a produção de serotonina – um neuropeptídeo que dá sensação de bem-estar e prazer. 

Mas cuidado! Ele também possui metilxantinas; a mais famosa delas é a cafeína (em quantidade infinitamente menor que no café), que tem efeito estimulante, até nas crianças.

Além disso, quando há ingestão de grandes quantidades de chocolate a criança pode apresentar diarreia, vômitos e mal-estar. Caso esses sintomas apareçam, deve-se hidratar bastante o pequeno e, se não houver melhora, procure um pediatra.

Uma dica importante é não descuidar da alimentação nos dias em que eles comem o chocolate – não é porque comeu o doce que pode abusar de outros alimentos não saudáveis. Aumentar a quantidade de fibras, verduras, legumes e proteínas nesses dias pode ser um bom contrabalanço!

E qual o melhor tipo de chocolate para crianças?

Como dissemos, os pequenos não precisam resistir às maravilhas do chocolate. O fundamental é escolher o tipo correto para manter a saúde no consumo. 

Pensando nisso, o ideal é priorizar os doces que contenham maior teor de cacau, por conta dos benefícios. Porém sabemos que algumas crianças não são fãs dos chocolates amargos. Então, para fugir dele, vale apostar nos do tipo “ao leite” que contenham açúcar, leite e uma porcentagem de cacau acima de 30%. 

As receitas que mesclam outros frutos, sementes e grãos são ainda mais bem-vindas, tanto em relação ao sabor quanto em relação ao valor nutricional.

Agora que você já sabe quais os melhores tipos, acesse o nosso catálogo de produtos para escolher um bem suculento e saudável para a criançada saborear no dia 12 de outubro.