Facebook Pixel

Alergia à Proteína do Leite de Vaca: posso comer chocolate?

Alergia à Proteína do Leite de Vaca: posso comer chocolate?

A Páscoa já está chegando! E para os fãs de chocolates, esta pode ser considerada a melhor época do ano. Afinal, há chocolates de todas as formas e sabores, por toda a parte.

 

Para muitos, no entanto, esta época traz à tona uma alergia chamada APLV, ou Alergia à Proteína do Leite de Vaca.

 

Esta alergia ataca o organismo de uma em cada vinte crianças, trazendo inúmeros sintomas ao consumir qualquer alimento com a proteína do leite, utilizada na fabricação de muitos chocolates.

 

Geralmente, a doença atinge os bebês em seus primeiros meses de vida quando estão em fase de substituição do leite materno pelo leite de vaca.

 

Mas adultos também podem desenvolver uma intolerância; no entanto, os sintomas são diferentes e com menor frequência do que nos pequenos.

Então, quem tem APLV pode ou não comer chocolate?

Infelizmente, para quem sofre dessa alergia, o recomendado é excluir o chocolate da sua rotina alimentar.

 

Isso porque o doce, mesmo nas versões zero lactose, pode conter resquícios de leite. Por isso, nas embalagens há a informação: PODE CONTER LEITE.

 

Trata-se de uma exigência da legislação em razão da marca possuir alimentos com lactose produzidos no mesmo equipamento.

 

Ainda que o maquinário seja limpo antes de dar início à produção da Linha Zero, torna-se necessário informar o risco de contaminação cruzada.

 

Trata-se de um risco mínimo, mas que impede que os produtos da marca sejam indicados para Alérgicos à Proteína do Leite de Vaca (APLV).

 

Por isso, deve-se consultar um nutricionista que fará o acompanhamento e a adequação da alimentação.

 

Neste período, deve-se ter cuidado; e ao ir ao supermercado ou loja especializada em chocolates, atente-se aos rótulos. As informações de ingredientes e alérgicos estão sempre especificadas no verso.